Arquidiocese confirma ajuda a servidores do Rio

temp_titleEncontro_com_Muspe_2017_4_21072017122045

O arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, se reuniu nesta quinta-feira, 20 de julho, com líderes do Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe), reafirmando o compromisso da Igreja Católica de ouvir a todos na tentativa de buscar caminhos e soluções para amenizar o sofrimento que os servidores públicos estão passando com a ausência de salário. Dom Orani confirmou a ajuda da Arquidiocese do Rio na campanha de doação de cestas básicas a servidores.  

"Preocupados com a falta de pagamento dos salários e, consequentemente, com a falta de alimento na mesa dos servidores, os representantes do Muspe pediram nossa intercessão e ajuda. Nós nos colocamos à disposição, enquanto cáritas arquidiocesana, para incentivar uma campanha de arrecadação de alimentos e também de dinheiro para a compra desses mantimentos, nessa solidariedade com aqueles que trabalham para o bem público de nosso estado; e também nos colocamos disponíveis, enquanto Regional Leste 1, para poder encontrar alguns locais, em outras cidades do nosso estado, que possam ser bases de arrecadação e distribuição desses alimentos, para que os servidores tenham outras opções que favoreçam a logística de recebimento dessas cestas. Esta reunião mostrou uma unidade desses servidores públicos e, ao mesmo tempo, uma certeza que eles vivem na esperança de que um dia tudo isso se resolva", afirmou o arcebispo.  

O presidente do Sindicato dos Servidores da Carreira Socioeducativa do Estado do Rio de Janeiro (Sind-DEGASE), João Luiz Rodrigues, agradeceu a Dom Orani pelo trabalho que a Igreja já realiza no dia-a-dia e destacou não só as preocupações, mas também o que já foi realizado pelo movimento.

"Nós já estamos acostumados com a presença de Dom Orani e da Igreja nas nossas unidades do DEGASE e agradecemos pela oportunidade desta reunião, que tem como pauta a penúria dos servidores e da população, devido à crise que acometeu o estado. Este movimento unificado é um ato de solidariedade. Nós temos a consciência que nossa ação não vai pagar as contas de ninguém, mas temos também uma responsabilidade diante da decisão que o governo tomou de pagar algumas classes e outras não. Entendemos que a culpa não é do servidor que recebe, mas do governo que chegou a um colapso de gestão, por isso, criamos a campanha de doação de alimentos para tentar minimizar esses efeitos da crise. Nesta primeira semana já distribuímos 1.300 cestas básicas, mas estamos preocupados, porque são mais de 200 mil servidores precisando desse auxílio e sabemos que a Igreja tem um papel fundamental nessa ajuda humanitária e nos ajudará muito diante dessa realidade", disse Rodrigues.

O bispo auxiliar da arquidiocese e animador das Pastorais Sociais, Dom Joel Portella Amado, e o vigário episcopal para a Caridade Social, cônego Manuel Manangão, também participaram do encontro que foi realizado no Edifício João Paulo II, na Glória. Com a anuência de Dom Orani, os referenciais arquidiocesanos para as questões sociais reiteraram o desejo da Arquidiocese do Rio em contribuir com a campanha e exortaram os líderes do Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais a continuarem atuando em comunhão, na unidade e motivados pela esperança.   

"A Igreja no Rio de Janeiro já vem contribuindo com a arrecadação de alimentos e a cada ano são inúmeras cestas básicas que são distribuídas num trabalho permanente em nossas comunidades. Penso em três ações nessa colaboração com a campanha do Muspe: nosso Cardeal conversará com os bispos do Regional Leste 1, para que eles acolham em suas dioceses essas bases de arrecadação e distribuição de alimentos, e isso facilite a logística para os servidores que residem em outra cidade do estado; faremos o lançamento da campanha na próxima semana através dos veículos do Sistema de Comunicação da Arquidiocese; e disponibilizaremos a conta emergencial da Cáritas para a arrecadação de recursos financeiros que serão revertidos na compra de mantimentos", explicou cônego Manangão.

"Pode parecer estranho, mas saio com muita alegria e esperança desse encontro. Vi que, por mais que a situação esteja calamitosa e sofrida, o mal não tomou conta desses servidores, que continuam lutando e sonhando. Tudo isso não os isolou... Eles não ficaram uns contra os outros. Em cada um que se apresentava, eu ia notando que todos eles estão juntos, e o caminho é esse. Que eles não percam esse senso de unidade e sensibilidade para com um problema muito maior, crônico, e que não vai se resolver só com essa campanha. Há muita coisa para fazer por esse Brasil, pelo nosso estado, pelo mundo. Eles não podem deixar esse sonho da solidariedade desaparecer, pois se a calamidade tomou conta de nós, não tomou conta de nossos corações", concluiu Dom Joel Portella.

Como colaborar

Para doar alimentos não perecíveis (arroz, feijão, macarrão, farinha, fubá, sal, açúcar, leite em pó) basta entregar os itens, de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h, nos seguintes endereços:

Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe)

Rua Evaristo da Veiga 55, 7º andar - Centro

 

Coligação dos Policiais Civis (Colpol),

Rua Sete de Setembro 141, 2º andar - Centro

 

Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário (Sind-Justiça)

Travessa do Paço 23, 13º andar - Centro

Universidade do Estadual do Norte Fluminense (Uenf)

Avenida Alberto Lamego, 2.000, no Parque Califórnia, em Campos dos Goytacazes

temp_titleEncontro_com_Muspe_2017_1_21072017122036

temp_titleEncontro_com_Muspe_2017_2_21072017122039

temp_titleEncontro_com_Muspe_2017_5_21072017122047

temp_titleEncontro_com_Muspe_2017_3_21072017122042

Fotos: Gustavo de Oliveira

FONTE: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5954/arquidiocese-confirma-ajuda-a-servidores-do-rio